À CONVERSA COM...
DR. RUI BENTO

Fomos ao encontro do Dr. Rui Bento numa manhã chuvosa de Dezembro, à bela localidade de Fajão, Pampilhosa da Serra, onde nos deslocámos a convite do Sr. Francisco de Almeida, que ali dirige e explora a SerraCaça, uma reserva de caça turística com 3.000 há, também ele coentralense. Foram aliás dois dos protagonistas da aventura relatada por Ernesto Ladeira, Sete dias à toa na Serra da Lousã, que o nosso jornal teve oportunidade de publicar em fascículos.

Como primeira e agradável surpresa, a constatação do movimento que Fajão, perdido na Serra do Açor, desfruta com a dinamização trazida pela SerraCaça, com um bom restaurante, O Juiz de Fajão, onde almoçámos, uma Estalagem, onde conversámos com o Dr. Rui Bento, ambos com níveis de ocupação elevados, que caçadores ou simples amantes do sossego e da natureza proporcionam.

Do impressionante curriculum de Rui Bento, cuja sinopse publicamos em separado, realce para, embora a sua modéstia o impeça de o fazer, ter sido um dos primeiros médicos do mundo a trabalhar em transplantes cardíacos. De facto, quando chegou à África do Sul para integrar a equipa do Prof. Christian Barnard, em Fevereiro de 1968, este tinha realizado apenas dois meses antes o primeiro transplante de coração, tendo o Dr. Rui Bento integrado de imediato a equipa que realizou a terceira transplantação deste órgão.

Nascido em Lisboa, neto de coentralenses que para lá se deslocaram nos finais do Sec. XIX, como tantos outros, em busca de melhores condições de vida, ali se licenciou em Medicina, para logo de seguida ser chamado para o serviço militar, que cumpriu como Oficial Médico no norte de Angola.

De regresso a Portugal e feita a especialidade em Cirurgia Geral, parte para a África do Sul, como relatamos acima, e onde adquiriu os conhecimentos e experiência determinantes para o sucesso da sua carreira.

De novo em Portugal, foi Chefe e Director do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica e Director do Hospital de Santa Marta, cargo que abandonou em 1999, tendo-se dedicado a partir daí à medicina privada.

Neste Hospital, além de organizar e preparar equipas para esta actividade, conseguiu enormes melhoramentos nas condições hospitalares, nomeadamente no Bloco Operatório e na Unidade de Cuidados Intensivos, com pressurizações positivas e negativas, que considera uma das melhores do país e da Península Ibérica.

A equipa de Cirurgia Cardiotorácica que formou trabalha actualmente desde a implantação de pace-makers ao transplante simultâneo de coração e pulmões, exercendo tanto em doentes adultos como em crianças. É constituída por 15 a 20 médicos, de diversos níveis de desenvolvimento e especialidades, e um número muito superior de pessoal de enfermagem, altamente especializados, técnicos de máquinas coração/pulmão etc.

Coloca aliás, na prontidão, 24 horas por dia, como no elevado grau de especialização e profissionalismo da sua equipa, como de qualquer equipa de Cirurgia Cardiotorácica, o factor fundamental para o sucesso das intervenções :

" a cirurgia de uma maneira geral, mas principalmente a cirurgia cardíaca, tem uma particularidade em relação a outras intervenções, talvez só comparável a algumas intervenções neurocirúrgicas: o limite do erro ou acidente é muito pequeno. Nas outras especialidades, se houver erro, é óbvio que o doente pode sofrer com isso, mas de uma maneira geral não culmina com a morte. Na cirurgia cardíaca, se a equipa não estiver bem articulada, e se não houver o mínimo de erro possível, o doente pode morrer"

Conversámos durante mais de uma hora com o Dr. Rui Bento, o que não é difícil nem cansativo, já que a sua facilidade de comunicação, simpatia e trato afável, tal proporcionam, tendo sido naturalmente abordados muitos outros assuntos, que a exiguidade deste espaço não permite descrever. Tentámos apenas deixar o testemunho, principalmente para os mais novos, de um Homem, com raízes em Castanheira de Pera, que levou a sua carreira a limites onde muito poucos conseguem chegar.

Nos próximos dias 13 a 15 de Fevereiro vai decorrer em Lisboa, no Centro Cultural de Belém, o XI Congresso Nacional de Medicina, com o Tema "Os Médicos e os Poderes", contando com conferências, programa temático e cultural. O facto de o Dr. Rui Bento ser o Presidente do Congresso, atesta bem a veracidade do que escrevemos antes.

No final falámos um pouco sobre o Coentral, com o Dr. Rui Bento a manifestar-se verdadeiramente impressionado com o bom trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia, nomeadamente pelo seu Presidente Pedro Graça.

O amor pelo Coentral, onde tem casa e onde se desloca com frequência, com ou sem os filhos, esteve sempre presente enquanto conversávamos sobre a "Terra de Encantos".

Esperamos continuar a ter a sua visita durante muitos e bons anos, Dr. Rui Bento!

António Carreira


 

-Nasceu em Lisboa em 1935.

É casado e tem cinco filhos.

-Licenciado pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1962, com a média de 16 valores, com tese sobre " Transplantação Experimental de Pele ", classificada com 18 valores.

-Médico militar em Angola de 1962 a 1964 - Condecoração e Louvor.

-Em 1964 iniciou o Internato de Cirurgia Geral dos Hospitais Civis de Lisboa e trabalhou paralelamente nas antigas " Caixas de Previdência ", onde durante anos fez sucessivamente o Serviço Permanente, Visitas Domiciliárias e Consultas de Clínica Geral. Estas actividades deram-Ihe uma grande experiência num sector difícil e importante da medicina.

-Cirurgião Geral pelos Hospitais Civis de Lisboa em 1967.

-Cirurgião Residente ( Registrar) da Equipa do Prof. Christian Barnard de 1968 a 1970 -no " Hospital Groote Schuur e no " Red Cross War Memorial Children’s Hospital - Cidade do Cabo -África do Sul.

-Há cerca de 31 anos foi colocado como Cirurgião Geral no Posto 28 da Rua Afonso III, actual Centro de Saúde de S. João, onde exerceu a sua actividade cirúrgica até mudar para regime de exclusividade hospitalar, em 01/05/91.

-Desde 1970 trabalhou no Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais Civis de Lisboa, no Hospital de Santa Marta, onde também foi inovador principalmente em Cirurgia Cardíaca do adulto, Pediátrica e Torácica Geral.

-Em 1973 Especialista em Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais Civis de Lisboa.

-De 1979 a 1981 foi eleito Presidente do Conselho Geral do Hospital de Santa Marta.

-Em 1980 Chefe de Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais Civis de Lisboa.

-Desde 1982 a 1996 foi Director do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais Civis de Lisboa, no Hospital Santa Marta, que desenvolveu tornando-o num dos melhores Centro Ibéricos em qualidade e quantidade.

-De 1986 a 1990 foi eleito Presidente da Associação Portuguesa de "Pacing" Cardíaco durante dois mandatos.

-Eleito Presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, para os triénios de 1993-1995 e 1996-1998, tendo representado a Ordem em reuniões nacionais e internacionais, nomeadamente no Comité Permanente dos Médicos da União Europeia, desempenhando as funções de Vice -Presidente da sub-comissão da Organização dos Cuidados de Saúde, Segurança Social e Indústria Farmacêutica.

-De 1993 a 1995 foi delegado ao Forum das Associações Médicas com a organização Mundial de Saúde.

-Presidente Executivo do VIII Congresso Nacional de Medicina em 1995.

-Promotor da Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos, que foi pela primeira vez atribuída em 1995 e entregue na cerimónia de abertura do referido Congresso, a várias personalidades destacadas da medicina portuguesa.

-Delegado da Ordem dos Médicos no Ministério dos Negócios Estrangeiros, para resolver em conjunto com as outras Ordens e Associações Profissionais Liberais, o cumprimento bilateral do Acordo Cultural Luso-Brasileiro.

-Coordenador do Departamento Internacional da Ordem dos Médicos por delegação do Conselho Nacional Executivo até fim de 1996.

-Director Adjunto da Acta Médica Portuguesa por inerência de funções de presidente do Conselho Regional do Sul.

-Delegado ao Conselho Nacional das Profissões Liberais.

-Influenciou a organização de cursos de novas tecnologias de informação, de gestão e administração de saúde na Ordem dos Médicos, sendo a maior parte subsidiados pelo Fundo Social Europeu, que são o embrião do futuro departamento de formação da Ordem dos Médicos.

-Foi delegado à Associação Médica Mundial de 1996 a 1998.

-É ou foi Membro de mais de 20 ( vinte) Sociedades Científicas Portuguesas e Estrangeiras, entre as quais se destacam:

Sociedade de Ciências Médicas

Associação Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular

Sociedade Portuguesa de Cardiologia

Sociedade Portuguesa de Arritmologia, Electrofisiologia e "Pacing" Cardíaco

Society for Thoracic Surgeons

Fellow of the American College of Surgeons

Fellow of the Eruropean Society of Cardiology

International Society for Hearth and Lung Transplantation

Sociedade Portuguesa de Transplantação.

-Pioneiro desde 29/06/80, em Portugal, no Programa de Transplantação Renal do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, onde trabalhou durante anos. Este grupo realizou até à presente data, 1205 transplantes. Por essa actividade foi distinguido em 1981 com a Cruz Vermelha de Mérito.

-Coordenador do Programa de Transplantação de Órgãos Torácicos do Hospital de Santa Marta até 08/07/98.

-Em 1986 efectuou o primeiro transplante" Cardíaco em Paralelo ", único até à data em Portugal.

-Em 25 de Maio de 1987 efectuou com sucesso a primeira Operação de Jatene ( correcção anatómica ) em Portugal, num recém nascido, com transposição das grandes artérias.

-Em Maio de 1981 efectuou com sucesso o primeiro Transplante simultâneo de Coração e Pulmões.

-Organizou, conseguiu a tecnologia necessária e em 31 de Março e 1 de Abril de 1993 efectuou com sucesso as duas primeiras Cardiomioplastias em Portugal, em colaboração com equipa espanhola, da Clínica Universitária de Navarra.

-Pioneiro no desenvolvimento de múltiplas técnicas em cirurgia cardíaca de adultos e pediátrica e em Cirurgia Torácica Geral, nomeadamente no desenvolvimento da Mediastinoscopia e Plastia Cirúrgica da Traqueia, em 1971.

-Em 31 de Maio de 1993 foi-lhe atribuído pela Santa Casa o Prémio Nunes Corrêa Verdades de Faria, na área "Progresso do Tratamento das Doenças Cardíacas ".

-Várias dezenas de trabalhos científicos comunicados ou publicados respectivamente em reuniões e revistas portuguesas e estrangeiras da especialidade. Leccionou em Vários mestrados.

-Inúmeras entrevistas na Comunicação Social, escrita, na rádio e na televisão.

-Vários estágios e visitas prolongadas em Centros Europeus, nos E.U.A., Canadá, África do Sul e Brasil com bolsas do "British Council", "Fundação Calouste Gulbenkian " e" Embaixada Alemã ".

-Assistência e colaboração em reuniões científicas em Portugal e no Estrangeiro como moderador, prelector ou assistente.

-Em 1994 integrou o Grupo constituído por todos os Directores dos Serviços de Cirurgia Cardiotorácica, afim de elaborarem relatório sobre necessidades de cirurgia cardíaca em Portugal e que em despacho de 08/02/95 mereceu a concordância ministerial.

-Por despacho de 28/09/94 integrou o Grupo de Trabalho para o Estudo e Reprogramação dos Hospitais Civis de Lisboa, assim como o do Programa funcional do futuro Hospital de Todos os Santos.

-Nomeado Director e Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Santa Marta para o triénio 18 de Janeiro de 1996 a 18 de Janeiro de 1999. Por inerência integrou o Conselho de Gestão Estratégica dos Hospitais Civis de Lisboa.

-Frequentou vários cursos de Gestão e Administração para dirigentes, organizados pelo Departamento de Recursos Humanos do Ministérios da Saúde; de Informática organizado pela Ordem dos Médicos e de Política de Saúde, Qualidade, Ética e Deontologia, organizados pelo Ministério da Saúde e/ou Ordem dos Médicos.

-Em 1998 na Universidade de Lancaster, frequentou o curso: " Health care management best pratice " em programa de aprendizagem activa, observando na prática o funcionamento do Serviço Nacional de Saúde no Reino Unido.

-Integrou o Grupo para o Estudo da "Rede Nacional de Intervenção Cardiotorácica", assim como "O Hospital -organizado em centros de responsabilidade integrados ".

-Em 1998 - candidato a Presidente da Ordem dos Médicos.

-Coordenador do Conselho Nacional de Ética e Deontologia da Ordem dos Médicos no triénio de 1998-2001.

-Em 1999 Medalha de Ouro do Ministério da Saúde.

-Em 2000

Medalha de Ouro da Autarquia de Oeiras

Medalha de Mérito ( Ouro) da Ordem dos Médicos.

Presidente da Associação de Antigos Alunos da

Faculdade de Medicina de Lisboa

Presidente da Assembleia Geral da Sociedade de

Cirurgia Cardio-Torácica e Vascular Portuguesa.

Vice-Presidente do Conselho Médico da NetSaúde.

-Em 2000-2002 -Presidente do Conselho de Administração da Fundação Portuguesa " A Comunidade contra a Sida.

-Presidente do XI Congresso Nacional de Medicina em 13, 14, 15 de Fevereiro de 2003 no Centro Cultural de Belém. -Lisboa

-Como complemento e ocupação de tempos livres praticou ao longo da vida ginástica, esgrima, hipismo, andebol, rugby e artes marciais.

-Presidente da Associação Portuguesa de Taido (arte marcial moderna) e desde Julho de 1998 seu Presidente Honorário e Conselheiro. Em 1977 foi-lhe conferida a graduação de 3º. Dan Honorário pela Federação Internacional.

-É actualmente praticante de laido ( 1º. Dan ).

-Frequentou cursos de desenho e pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes. Frequenta actualmente o 3º Ano de Pintura.

 

 

 

Voltar à 1º Pagina " O CASTANHEIRENSE "